Em destaque

A última noite

Da janela, o farol resplandecia. Sinal que ele já se encontrava no portão, pontualmente no horário combinado.

Última conferida no visual, meu bom e velho tubinho preto, havia sido a escolha para a nossa grande noite decisiva.

Fomos a mais um dos restaurantes que sempre me surpreendia, não conseguia encontrar qualquer detalhe, para meu álibi.

Entre pedidos e vinhos, minha cabeça vivia um turbilhão. Concentrei-me em seus olhos. Os sempre tons de mel, culpados por derreter meu coração.

Imaginei como ele conseguia maquinar tudo tão perfeitamente, roupas, toques, lugares. As escolhas certas para cada encontro. Cada encontro que me ganhava um pouco mais.

Já fazia, tempo que não saía tantas noites seguidas com um único alguém.  Depois do meu ultimo relacionamento traumático, decidi que, não envolveria sério com outra pessoa tão cedo. Mas veio você. E eu, deixei chegar longe demais. Me senti fraca aquele momento. Com medo.

Seria a última noite, encerraria ali, não me envolver lembra?! Eu dizia a mim mesmo todos os dias, disse aquela noite antes de sair, hoje seria a despedida.

Terminamos a sobremesa, pedi que voltássemos mais cedo. Quanto antes, mais rápido me sentiria aliviada. Planejei algumas falas mentalmente. O que de nada adiantou. Única coisa que meu corpo cedeu, foi a mais um beijo doce e forte.

Talvez, a minha falta de coragem, era o caminho certo. Talvez fosse hora de dar mais uma chance para quem sabe uma bonita história a dois.

 

Em destaque

Te quero ao meu lado sempre

Já houve tempos, antes de você, que os meus relacionamentos não davam certo. ~ Se é que assim posso chegar a chamar alguns. ~

Inconstante vezes me sentia triste por não vingar com ninguém. Eram mais e mais planos indo por água abaixo, junto com minhas expectativas. Cheguei a acreditar que havia algo errado em mim. Só poderia ser isso, não nasci para viver a dois. Por fim desistir. Talvez fosse do jeito que deveria ser, me acostumaria, ou enlouqueceria.

Até que lhe conheci. Meio sem jeito, de uma forma natural. De verdade, no fundo torcia pra gente dar certo, mas não coloquei muita fé. Já tinha ocorrido muitas despedidas dolorosas.

Porém tudo no final era Deus cuidando, para que o melhor chegasse a mim. E você chegou. Chegou a 6 anos atrás e está aí até hoje. Olha que por aqui os relacionamentos duravam nada mais que uns meses, um ano no máximo.

Medo de um dia, tudo que temos dê errado ? Tenho, como não ter? Não há como prever o futuro. Mas sabe, tem sido diferente e é isso que vou me apegar. Me apegar ao meu desejo: te quero ao meu lado sempre. Dessa forma simples e gostosa. E parece que o Cara lá de cima também quer.

Em destaque

Mais ao fundo.

Não, não se assuste. Não é todo mundo que vai querer te derrubar ou se aproximar para interromper seus sonhos.

Muita gente vai te ajudar de verdade, estenderão a mão para te tirar do sufoco, te orientar a um caminho mais seguro.

Mas cuidado: terá gente que te estenderá a mão só para te dar aquele empurrão mais ao fundo.

Infelizmente nem todo mundo tem boas intenções, sejam os porquês por diversos motivos.

Por isso é importante ter cautela ao sair por aí compartilhando sonhos e também suas dificuldades.

Sim, não é somente quando estamos alcançando nossos objetivos que o outro pode querer derrubar.

Ocorre por vezes de você estar passando por momentos difíceis e os “amigos” te darem a mão apenas para terem a

certeza que mais ao fundo será seu lugar. Devemos sempre atentar aos detalhes.

Em destaque

O básico por muitas vezes é mais.

Como não ser atraída pelo esplendoroso?

Naturalmente o que está cercado de grandiosidades chama a atenção.

Mundo capitalista, voltado ao consumo, etiquetas e grifes.

Certamente estaríamos mentindo se não desejássemos pequenas parcelas do que esse mundo possa ofertar.

É quando paro e penso, o que desejo é equipado de futilidade, aparência? Ou carregado de sinceridade e leveza?

Sabe de uns tempos para cá a ficha vem caindo, e ando preferindo o básico munido de felicidade do que o esplendoroso acompanhado de solidão. || O básico por muitas vezes é mais, enquanto o esplendoroso aos olhos muitas vezes é menos.

Em destaque

Escaladas

Começar a subida não é fácil.

Quando olhamos para cima e observamos cada degrau causa medo e muitas vezes desespero.

Mas é sempre necessário encarar essa subida se queremos chegar e conquistar novos lugares.

Além de nos cercar dessas incertezas, nos deparamos com o outro, que constantemente duvidam dos nossos sonhos.

Faça por você. Deixe-os incrédulos por sua escalada.

Nossos sonhos apenas nós sabemos o quão importante e necessário para nossa vida.

Encare as diversidades. Encare a incredulidade do outro.

Em destaque

Intensidades

 

“Quis matar minha intensidade, quando vi que ela não cabia em você.
Foi ai que perdi minha identidade, me senti vazia e desisti de te querer.”
Cinthia Gonçalves

Já quis muito fazer por onde me encaixar no que parecia ser o melhor para você. Quando aquele dia, em meio a nossa briga, disse que minha intensidade te incomodava, foi meu foco do problema.

Planejei a fio como deixar de ser intensa. Não gargalhar, quando o mundo me fizesse tão feliz. Não usar tanta cor. Não acreditar no amor.

Bastou poucos dias, me olhei no espelho e me senti vazia, imersa no corpo de alguém que não sou.

Me encontrei pensando no que eu realmente queria, foi ai que não tive dúvida. Queria ser minha pura. Estar com alguém que me cuida, da forma intensa que sou.

 

Em destaque

Leve peso de ser criança

Tenho desejo de voltar a ser criança, só para sentir o leve peso que a vida tinha quando meus problemas giravam em qual brincadeira escolher primeiro depois do café fresquinho da mamãe.

Cada ano que ganhava na idade, um peso a mais parecia surgir em meu ombro. Tenho tido quase certeza que na casa dos quase 30, não era apenas um peso que acrescentava a cada ano, mais a cada dia.

Como pode?! A gente cresce e teoricamente o certo seria sermos mais sábios com tudo que a vida nos propõe a seguir. Mas na verdade quando olho para o meu passado, ali ainda criança, me vejo mais sábia e feliz.

Se brigasse, não ficavam mágoas. Se chorasse, um chocolate consolava. Se quebrasse, recriava. Tá certo, que ficar adulto a gente tem um maior de problemas. Mas dentro de tantos esses problemas, não teria na  minha criança um pouco de alivio.

A gente criança não carrega tanto peso, que quando adulto a gente insisti em carregar. A ferida do amor que já se cicatrizou mas que preferimos insistir em cutucar. Um erro perdoado, que só a gente ainda guarda e remói dentro do peito. Um sonho que já virou recomeço, mas batemos na tecla que “se” tivesse feito diferente.

A verdade é que carregamos pesos excessivos por insistimos em levar aquilo que deveríamos deixar no caminho.

Você tem peso que já pode ser dispensado mas ainda tá guardando consigo? Volta a ser criança por uns minutos e descarte tanta carga desnecessária.

 

Em destaque

Sobre as palavras que eu nunca disse | Desabafo

Bom dia!

Boa Tarde!

Ou Boa noite?

Não sei exatamente qual parte do dia esse desabafo chegaria. E de todo modo não há um grau de importância do momento, mas que ele chegue ao seu destino.

Começo, talvez, me punindo. O que com frequência aprendi a fazer.

Faz-me lembrar do porque disso daqui e o que de verdade queria: Ter começado a compreender o ritmo da vida há mais tempo.  Ter compreendido desde nova, que esperar demais dos outros para seguir em frente é suicídio.

Mas hoje, não vim falar dos meus, mas dos seus crimes, ficando claro, que nessa altura sem qualquer tipo de fiança.

Por vezes por você parei sonhos, outros sequer nem comecei, simplesmente porque seu olhar fixo parecia ter o prazer de me julgar.

Troquei minhas roupas, mudei a cor do cabelo.

Algumas vezes agi de forma que não queria de verdade, com ideias que não eram minhas… Só pra quem sabe, me sentisse um pouco mais acolhida.

Estranho, porque mesmo assim, por dias permanecia com baixa astral, sozinha.

Acreditar que não tinha potencial, aquela típica falta de autoestima já era rotina.

Engraçado que para você, todos esses sentimentos eram culpa somente minha.

Como se em você não houvesse nenhuma faísca sequer de responsabilidade.

Diante de você, meus erros continuavam a parecer gigantes e meus acertos tão pouco importantes.

Foi preciso um fundo sofrido para desistir de viver por você, para você e entender que posso ser livre, diferente, respeitada, isso ao mesmo tempo em que o outro também seja livre, diferente, respeitado.

Pergunto-me: Quando é que toda essa sua intolerância vai terminar?

Pois bem, “agradeço” SOCIEDADE.

Não foi e continua não sendo fácil, mas todas essas suas “pancadas” construíram a força de ser quem sou.


Screenshot_2017-08-23-15-11-14_1

Hoje o texto veio em um tom de desabafo, talvez melancólico, mas reflexivo.

Um pouco sobre a sociedade que temos hoje.

Até quando tentaremos nos encaixar em uma sociedade cheia de padrões e intolerantes e vamos acreditar que muita coisa é simples frescura?

Em uma geração cercada das doenças da mente. Persistimos em julgar.

Façamos seres humanos mais fortes ao olhar, sejamos mais filtro. Viver só de mimimi não constrói novos mundos, mas ensinemos uns aos outros a serem seres mais humanos e acolhedores da diferença. Vamos ensinar mais e apontar menos. Saber expor e saber ouvir. Que sejamos um conjunto diferente.

 

Em destaque

Fizemos daquela noite, a nossa noite.

Olho o relógio e o sol já está nascendo. Os ponteiros se movem na velocidade da luz e percebo, mais uma noite em que não consigo dormir. Invento diversos porquês da insônia, mas na realidade nem é necessário instigar tanto qual motivo, aquele mais complicado de todos: você.

Passaram-se duas semanas. E ainda está fresco na memória. Aquela nossa inesperada noite. Era mais um daqueles dias de conversas entre amigos no WhatsApp. Não sei como chegamos a tal ponto de sentir essa saudade imensa de se ver. E quando me toquei você estava no interfone do meu apê com uma bela garrafa de vinho.

Trouxemos a conversa do telefone para o ao vivo, nos deliciamos ao som daquela minha música favorita do Jhon Mayer – Free Fallin e brindamos alegria com nossas taças. Paro, respiro. Será que foi aí? O ápice do desejo? Você sorrindo sem preocupação, fez meu sangue pulsar. E em pequenos segundos nossos lábios já se encontravam unidos. Beijo longo, forte. Uma das suas mãos entrelaçou minha cintura, me puxando firme de contra seu corpo. A outra subiu de encontro ao meu pescoço. respirações ofegantes. Senti levemente sua barba roçar em minha nuca. Como fugir? Naquele momento estava longe de cogitação e em poucos instantes minhas mãos buscaram seu corpo.

Como se não houvesse amanhã, fizemos daquela noite a nossa noite.

Porém, não teve como evitar, o amanhã houve, a amizade pesou, mas ainda nos encontramos aqui, famintos, por mais horas assim.

Imagem: Ana Flávia –  @anaflavias

Em destaque

Amor de 4 patas

– Amor, gostaria de ganhar um cachorrinho?
– Sérioo? Quero sim. [empolgação total]
– Buscaremos ele em breve então.

E assim, se iniciou uma história de amor e bagunça.

Não esperava na minha “idosa” idade [tom dramático] um cachorrinho de presente. Mas foi o que recebi no dia 17 de junho de 2016, um pequeno peludo, mistura de shitszu com pequinês das cores branca, preta e marrom.

Claro que imediatamente ao saber do novo habitante, imaginei todas as responsabilidades possíveis, desde alimentação, até as acomodações e vacinas. Sabia que não seria simplesmente trazer um bichinho de pelúcia, e não seria fácil, mas também não imaginava que o que me aguardava era maior que isso.

Thor, assim o batizamos, chegou com uns 40 dias de vida, todo tímido e com receio da casa que ele não conhecia, sem o quentinho da mamãe e os amassos dos irmãos, não poderia ser diferente, chorou toda a noite. E a segunda, e a terceira, até que enfim adaptou ao seu novo lar, o que nessa altura já havia perdido diversos dos meus ursinhos – tuudo claro para uma boa causa – mas as noites de cochilos seriam apenas um pequeno aviso de como minha vida tinha mudado.

Um dos próximos passos foi ensinar a fazer suas necessidades nos lugares corretos, o que não é uma tarefa nada fácil, e confesso até hoje não saber ao certo como ele passou a não fazer mais dentro de casa, e como ele ainda teima em nos presentear com alguns “pipis” fora do lugar.

Na verdade me pego pensando como ele hoje se sente o macho alfa da casa. Gosta de deitar no sofá, embolar na coberta, atacar plantas e furar buracos na horta dos meus pais. Encrenca com quem não conhece, avisa quem chega, quer comer toda nossa comida, além de papéis higiênicos de sobremesa. Arrasta tapete e esparrama sujeiras e brinquedos pela casa, além de se divertir ao se molhar com a chuva ou na água saindo pela mangueira. Para ele o secador vira arma de guerra e a coleira prisão na certa.

Se bem que desde que o meu pequeno grande Thor chegou, meu nome virou doce:
“Cinthia olha o que o thor tá fazendo”; “Cinthia, thor subiu na mesa, pegou a meia, fez xixi no piso …”; Realmente o serviço dobrou, mas o carinho multiplicou.

Se tem um amor gostoso é de um animalzinho. Recebo todos os dias o olhar mais gostoso desse mundo. São lambidas sinceras, dormidas quentinhas no pé. São latidas bravas quando saímos e uma grande festa quando chegamos. Às vezes até quando chegamos depois de uma ida ao banheiro.

Um companheiro fiel. Me acorda quando durmo demais e me persegue o dia inteiro. Meu coração transborda de amor, e já não sei viver mais sem meu sr. Bagunça, que está virando um rapazinho completando um aninho agora dia de 05 de maio, ele que nasceu para encher minha vida de luz!

Em destaque

Não se aperte para caber.

Muitas pessoas passam por nossa vida. Algumas chegam inesperadamente e vão ocupando lugares primordiais em nossos corações. Há aquelas que nos guardam no mesmo lugarzinho especial, outras porem, não.

E então mora o perigo. Gostamos tanto de alguém que ao sinal de falta de reciprocidade, enlouquecemos e começamos a querer nos encaixar ou nos moldar na vida e gostos do outro. E vem a tona uma grande verdade. Não existe encaixe quando apenas um lado se esforça pra isso.

Se você se encontra nessa situação PARE! E entenda é um grande erro persistir.

Fácil, colocar esse conselho certo? Não. Todos em algum momento da vida já passaram por isso, se não, irão passar pelo dolorido processo de entender, que algumas pessoas não vieram pra ficar. E adiar o inevitável apenas o fará retardar a dor que sim, só você sabe qual é. Claramente, durará algum tempo, sentirá um choro escorrer quando presenciar ele ou ela vivendo aquilo tudo que sonhou para vocês, ao lado de outro alguém. Sugiro até que evite enquanto não souber lidar. De fato, o que os olhos não veem o coração não sente, a mente abstrai.

Se deseja mais um conselho de quem também tem um coração recosturado, leia com carinho, a vida não é tão mal assim, se você se permitir vivê-la, ela te trará aquele alguém que te colocará exatamente no lugar onde você entra e sinta a vontade, não no lugar em que você precisa se espremer para ficar.

Ps.: Se encaixar esta longe de ser igual, perder a identidade própria, para ser como o outro. Encaixar é exatamente o contrário, é sendo diferente como as peças de um quebra-cabeça que nos tornamos capazes de ajudar o outro com seus defeitos e valorizar as suas qualidades.

Em destaque

Queria voar mas tinha medo de saltar.

Queria voar,
mas tinha medo de saltar.

MKLH8729

Dia desses percebi o quanto essa frase começava a fazer sentido. Vivia cercada de incertezas, noites de sono interrompido. Diria às vezes ser angustiante, uma sensação de: cadê aquela alegria completa? Faltava algo e apesar de entender que faltava, me condicionava pressa no medo de arriscar e não de buscar novas plantações, novos frutos, novas colheitas.

Só que a vida essa sim é de fato uma tremenda professora e confesso todo dia me surpreender com seus ensinamentos. Então o ano de 2017 resolveu me apresentar um novo ângulo de viver, me empurrou do alto da montanha e me colocou para usar as minhas asas.

Oi novo emprego! Sim, “bora” encarar aquilo que metia medo – arriscar – sair da zona de conforto, exercer criatividade, encarar o olhar do outro. E por que não? Venho respondendo com maestria.

Amizades, quantas novas amizades. Constatei que amizade é uma palavra muito mais forte do que imaginava que fosse. E ouso dizer, que sim encontrei amigos, que me apoiaram na dificuldade, mas que choraram de alegria com meu sucesso. E quanto já aprendi de falsidade, sentimentos falsos, às vezes não são tão difíceis de perceber é a gente que não quer encarar a verdade, afinal machuca, descobrir a falta até de um simples coleguismo de alguém que confiamos.

Claro, a vida não deixaria para trás, também descobri mais sobre o amor. Muito além de exposição, amor é intimidade, companheirismo … é se buscar ser o melhor pra outra pessoa, sendo melhor pra si mesmo.

Amor não é status, não é benefício social, nem flashes com sorrisos e legendas. É retorno de uma paciência construída em cima de um defeito.

Redescobri o amor, um amor mais singelo, mais simples, mais livre, empolgado de um futuro a dois. Coisas que eu não entendia sobre o amor de verdade, mas isso fica para uma próxima, porque para o amor tem que ter tempo e exclusividade.

 

Em destaque

Resenha livro – A Garota no Trem

Título: A Garota no Trem

Autora: Paula Hawkins

Gênero: Mistério/Thriller Psicológico

Editora: Record

Páginas: 375

Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

 

 

 

A Garota no Trem é um thriller psicológico que se passa em algumas cidades da Inglaterra, em geral no ano de 2013, mas há uma mistura no tempo da sua narração, em antes, durante e depois do mistério central da história. A mesma é contada na visão das três principais personagens femininas.

 – Rachel, divorciada de Tom, solitária e alcoólatra;

– Megan, esposa de Scott, ex-dona de uma galeria de arte que anseia sempre satisfazer seus desejos;

– E Anna atual esposa de Tom, convencida e cheia de si, acredita ter triunfado com sua beleza e se sente feliz por isso.

 A maior parte da história é descrita por Rachel que após a separação se vê cercada de problemas e angústias. Ela viaja todos os dias de Ashbury até Londres no trem das 08h04, com esperança de esconder da sua amiga Cathy e demais a demissão do seu emprego.

 Durante o percurso o trem passa aos fundos de um conjunto de casas no estilo vitorianas, e é nesse trajeto que Rachel imagina a vida perfeita de um casal da casa nº 15,  os quais ela passa a chamar de Jess e Jason, e também revive as lembranças do seu casamento falido ao passar pela casa nº 23.

 Contudo, em uma dessas viagens Rachel percebe que o casal perfeito não é tão perfeito assim, descobrindo mais tarde o desaparecimento “real” da sua imaginada “Jess”.

 Rachel não consegue compreender, mas se vê totalmente envolvida no caso, e apesar de ser vista pelos investigadores como uma fonte de informações não confiáveis devido ao alcoolismo, ela sente que deve realizar as investigações por conta própria.

 O enredo é um mix envolvente de tensão elevada, que fará com que você anseie logo pelo final que te surpreenderá como cada descoberta no decorrer da leitura.

 O livro retrata bem as dificuldades, consequências e problemas em torno do alcoolismo, divórcio, casamento e das escolhas do dia a dia. Trabalha em cima da realidade vivida por muitas pessoas.Um tapa de luva diante da facilidade com que temos de enxergar e imaginar a vida alheia, principalmente hoje devido ao grande acesso às redes sociais.

 Certamente após ler esse livro irá refletir sobre a maneira como observa a vida das pessoas ao redor.

Para aqueles que não são fãs da leitura, também há uma versão em filme com o mesmo título, porém como frequentemente acontece, modificaram bastante a riqueza dos detalhes que contem a versão em livro, o que não me remeteu a mesma experiência.

 De qualquer maneira, se você ficou curioso em descobrir o que se passa nessa história toda e ter uma nova visão do mundo, vale muito a pena conferir uma das duas versões.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

Não desista de trilhar sua felicidade!

 

E o último mês do ano começou. Começou agitado. Começou livre.

Engraçado como todo inicio de mês nos tornamos reflexivos,

ansiosos por mudanças e novos ares.

Teimamos em esquecer que recomeçar é um verbo para cada dia, minuto ou hora.

Insistimos em esperar todo o inicio de semana, mês ou ano para transformar nossos sonhos ou levantar de uma queda.

Estaríamos juntando forças ou somos meros acomodados?

Será que possuímos medo do que a mudança nos reserva? Porventura medo do que possivelmente teríamos que abrir mão para seguir em frente?

Afeiçoamos ao verbo reclamar, bem mais fácil talvez.  

Mas será mesmo que a vida se encarrega sozinha?

Bom, até hoje não presenciei pessoas de sucesso chegarem ao topo da noite

para o dia, sem qualquer esforço ou muita dedicação.

Creio que esse mundo (mal) cuidado pelo ser humano ofereça menos oportunidades para algumas pessoas,

fazendo a luta mais pesada e o recomeçar mais constante.

Mas quer saber, nunca conheci ninguém melhor do que ninguém.

Fácil, nunca foi. Só que fugir do pensamento positivo e das oportunidades de recomeço, apenas o manterá no mesmo lugar, o qual você insiste em reclamar de estar.

A vida tem lá suas surpresas, mas também somos atores responsáveis por grande parte do que nossa vida é a cada hora do futuro.

Recomece em um novo sonho, recomece no mesmo sonho.

Mas não desista de trilhar sua felicidade.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

As vezes se recolher é necessário.

Na agitação dos dias, nas escolhas a serem feitas, no sim ou no não a ser dito, na rotina corrida do despertador silenciado após algumas sonecas inclusas, rogamos por um tempo de luxo de descanso.

 Em um mundo agitado, aonde as notícias chegam a leves clicks, com imensas listas de afazeres, não só o corpo, mas também a mente com milhões de pensamentos gritam por uma trégua.

 Temos urgência pelo fim dos problemas, ou desejamos a coragem de um ato súbito de largar tudo para o alto e esquecer-se do trabalho na segunda, do estudo da terça e daquelas sucessivas ondas de compromissos e obrigações.

 Nosso modo conturbado de viver reflete em grande escala na nossa saúde como também no outro. Portanto, cuidar de si mesmo é um ato de amor consigo e com aquele a nossa volta.

 Quando desacelerar torna-se obrigatoriamente indispensável, passa a entender que às vezes é necessário se recolher a “calmaria de um lugar que sopra o vento da paz”, dentro de si.

 

Em destaque

Eu não estarei mais lá!

 

Você chegou deixou minha vida de ponta a cabeça. Não me perguntou se estava aberta a tantas mudanças. Não se questionou se eu aguentaria tanta história de saudade. Simplesmente chegou como se eu estivesse aqui só para você e nada mais. 

 Eu confusa não percebi que nada mudou. Como sempre eu era o ponto que você escolheu apenas para ser alguém quando ninguém te satisfazia. E mais uma vez no final, você se foi. Arrumou mil desculpas, conversas sem sentidos. Deixou-me no vazio e ainda como a garota sem sentimentos. Mais uma vez era o fim do meu eu tão confiante com minha autoestima na estaca zero. E agora só me restou recuperar das mazelas desse sentimento.

 Depois de dias a fio com choro no rosto e com a culpa de amiga, decidi fazer diferente, não só nas palavras, mas nas atitudes. Não queria que chegasse a esse ponto, mas como a música mesmo disse: “amores fracos não merecem o meu tempo”, amar me tornou fundamental.

 Um dia você sentirá o gosto de ter perdido o que poderia se tornar o seu bem mais precioso, porque sim você sabe, não existe outra pessoa como eu, vai sentir falta até das minhas crises e falhas porque elas me deixavam mais humana.

 Mas claro, agora sentando, rodeado de novos afazeres seu pensamento não estará em mim, nem nas palavras amargas que me disse (sim eu sei) só vai lembrar-se de mim e dos meus eternos exageros amorosos quando os dias pesarem novamente e então terá a surpresa: eu não estarei mais lá, estarei feliz cultivando um novo amor, o meu próprio amor.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

PLAYLIST | Top 7

Como já dizia o velho ditado “Quem canta seus males espanta”.

 Pensando no que a música transmite vamooos de playlist. Elenquei 7 músicas que estão na minha lista de mais escutadas nesse mês que passou!

 1. Quando fui Chuva – Maria Gadu.

 “Nada do que eu fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra a tua boca.”

2. Completamente Apaixonado – Inimigos do HP.

 “Eu nunca imaginei viver assim
Ter alguém que me trata tão bem
Nunca pensei que pudesse existir
Tanto sentimento
Você chegou quando eu mais precisei
Tanto sofri e chorei por outro alguém
Mas teu carinho transformou
O meu momento.”

 3. Louca de Saudade – Jorge e Mateus.

 “Já que me trocou por um outro alguém
Substituir é o que te convém
Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade
Eu quero ver então, se vai poder trocar de coração.”

 4. New Day  (Novo Dia) – Alicia Keys.

 “There’s a feeling that I got

(Há um sentimento que tenho)

That I can’t give up

  (Do qual não posso abrir mão) 

      Feeling in my heart

              (Um sentimento em meu coração)           

That I can’t get over.”

(Que não posso superar.)

 

5. Get Me Bodied (Me deixe Excitada) – Beyoncé.

 “I want to let it out tonight

(Quero deixar tudo rolar essa noite)

Wanna party, wanna dance

(Quero festejar, quero dançar)

Wanna be myself tonight, me bodied.

(Quero ser eu mesma essa noite).

 

6. 7 Years (7 Anos) – Lukas Graham.

 “So I started writing songs

(Então comecei a escrever canções)

I started writing stories

(Comecei a escrever histórias)

Something about that glory

(Algo sobre a glória)

Just always seemed to bore me

(Parece que sempre me entedia)

Cause only those I really love

(Porque os únicos que eu realmente amo)

Will ever really know me.”

(Sempre irão me conhecer).

 

7. Like I’m Gonna Lose You (Como Se Fosse Te Perder) – Meghan Trainor (Feat. John Legend).

“So I’m gonna love you

(Então, eu vou te amar)

Like I’m gonna lose you

(Como se eu fosse te perder)

I’m gonna hold you

(Vou te abraçar)

Like I’m saying goodbye

(Como se estivesse dizendo adeus)

Wherever we’re standing

(Aonde quer que a gente esteja)

I won’t take you for granted”.

(Vou te valorizar).

 Versão Antiga do Blog

 

Em destaque

Sobre as palavras que eu nunca disse | Foras Banais.

 

– “O problema não é com você, é comigo!”

 – “Eu não mereço você!”

 – “Você é muito especial para alguém como eu.”

 Entrei em pânico, como que alguém está terminando comigo e não era eu o problema? Se eu sou especial, porque não fica? Foram incógnitas torturantes. Desejei então por vezes não ser especial, se o detalhe estava ai, resolveria em um piscar de olhos.

 Depois de dias remoendo tantas palavras bonitas em meio a uma despedida, percebi que havia verdades incontestáveis nessas frases.

 Percebi que tinha metas traçadas e uma delas era a minha felicidade e dos que estavam a minha volta e me queriam de verdade.

 Entendi que você não soube aproveitar e diante de todas e inúmeras oportunidades que lhe dei, você simplesmente quis ser MAIS um.

 Descobri que não me merecia, porque você vive de momentos, e sim eu sou muito especial, para ser de momentos.

 Finalmente enxerguei que essas frases nunca traduzem a real circunstância e de tanto ouvi-las foi mais simples que esperava a conclusão:

 O problema era mesmo com você, por ser cego o bastante e não entender que ser especial nunca é demais para quem se ama.

Em destaque

O que não podemos esquecer no dia dos namorados

 

 

O dia dos namorados está chegando e aquele velho dilema entre solteiros e enamorados tomam proporções gigantescas.

 Os casais apaixonados se embalam nos preparativos de jantares, passeios, presentes e surpresas. Enquanto os solteiros abrem uma chuva de frases prontas com intuito de firmar a felicidade mesmo sem um companheiro.

 A expectativa que depositamos nessa data comemorativa por vezes é de assustar. E por vezes também esquecemos que é uma data.

 Não significa, que devemos deixar que passe em branco, mas acontece que focamos apenas em demonstrar naquela data especifica e deixamos passar os dias corriqueiros. Esquecemos que manifestar e manter o carinho e o amor são atos contínuos. Também não podemos sofrer que não comemoraremos essa data, por se estar solteiro.

 Mas ao contrário que possa estar parecendo, eu amo datas e se permitir encontro um tema comemorativo todos os dias. Só para aumentar a justificativa de dar ou fazer um mimo a alguém.

 Porém, elenquei algumas coisas que não podemos esquecer nessa data, tanto para os solteiros quanto para os casais apaixonados.

 – Usar o dia dos namorados para reforçar o que já mostramos com nosso companheirismo do dia a dia.

 – Não criar tantas expectativas com o parceiro, cada pessoa tem uma forma de demonstrar o carinho e o amor no dia dos namorados, talvez você seja fã de surpresas e presentes criativos, mas seu namorado não tenha habilidades para tanto, tente não se frustrar com a forma que será agraciada nesse dia.

  – Não tratar como o fim do mundo o fato de não estar namorando ou acompanhada nesse dia. E namorar só por namorar traz mais dores de cabeça que prazeres, e isso não valerá apenas um dia.

 Estar namorando não é sinônimo de felicidade, infelizmente há muito casal de fachada.

 – Sentir se bem com as amizades e planejar alguma atividade com elas é certamente melhor do que estar “mal acompanhada”.

 – E o mais importante, saber que além do amor pelo outro o amor próprio é essencial.

 E ai, o que acrescentariam nessa listinha? Como se sentem com o dia dos namorados chegando? Estão na correria dos presentes ou na vida de solteiros? Vou adorar compartilhar as situações dessa época com vocês.

 Beijos Beijos.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

A Onda do Descartar

Dia desses, passeando por textos e textos disponibilizados na internet, me deparei com um texto da escritora Juliana Manzato de título até pertinente nos dias atuais, “Descartável”.

 Claro, para minha formação acadêmica, onde estou em constantes momentos trabalhando com resíduos, é um título bem comum, utilizado com grande frequência nesse tal mundo consumista.  O que me chamou a atenção era que o texto não retratava exatamente das “coisas”, mas sim de pessoas e sentimentos.

 Lembro-me muito bem, em uma casa de três filhas mulheres, o hábito de reusar os uniformes todos ainda em ótimo estado, quando a outra não precisasse mais.

 Lembro-me também, que quando descobrimos que minha irmã mais velha teria uma menina, já se planejavam as doações das roupas que não me caberiam mais.

 Movíamos em um pensamento voltado à reutilização.

 Hoje, com o aumento da facilidade de se conseguir novos produtos, com a grande velocidade da atualização da tecnologia, passamos a ter um novo pensamento, o descartável.

 Celulares são trocados no mesmo piscar de olhos em que se aparece um novo design. Unimo-nos à praticidade do descartável, e acostumados assim parece que nem percebemos como estamos a descartar também as pessoas, gostos e sentimentos.

 Se meu amigo diverge da minha opinião, não serve mais para o meu círculo de amigos. Frequentemente leio nas redes sociais: “Não gostou do que eu penso e escrevi me exclui que dói menos”.

 Simplesmente, descartamos o que não agrada, e vamos ali às prateleiras verificar novos rótulos.

       José, 22 anos. Capricorniano. Estudante de  veterinária. Adora cinema, viajar e sabe fazer um excelente sushi.

         Michele, 21 anos. Aquariana. Estudante de artes cênicas. Ama livros, cultura e arte.  Apaixonada por ovos mexidos.

 José e Michele se conheceram, decidiram namorar. Descobriram que se amavam e se casaram. Separaram 5 meses depois.

Motivo: José queria sushi e Michele só sabia fazer ovos mexidos.

 Logo penso: envolvo-me com uma pessoa, mas se ela não me satisfaz exatamente como “eu” desejo, a “descarto” no próximo final de semana.

 E por ai vamos, amizades, namoros, casamentos, empregos, bandas, ideias e ideais. Todos descartados após o uso, assim como o copo plástico descartável.

 Devemos redescobrir o espírito de “reutilizar, reciclar”.

 Assim como a natureza vem mostrando que demandamos moderar nessa onda do simples descartar as coisas, precisamos aumentar a tolerância com o outro.

 Claro que não significa “aceitar tudo”, ou que não possamos discordar. Mas acolher as diferenças, aprender com elas, é aumentar as possibilidades e visões do mundo.

 Além do mais, também não somos os dotados de razão, nem os perfeitos. E nessa onda de descartar, podemos nós ser os descartados.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

Sabe rapaz, ainda “tô” aqui.

 

Olhando nossas fotos nessa tarde, a saudade apertou no peito. Lembrei-me dos dias de conquista e do gosto do nosso beijo.

Seu sorriso hipnotizante que aliviava o peso do meu dia me deixou na vontade de te ver.

Sinto falta do jeito que me irritava e principalmente do abraço apertado após as brigas.

Seu jeito revoltado deixou em mim um gosto de aventura que me excita a viver os meus desejos mais ousados ao seu lado. Como estamos bonitos na fotografia, como estávamos felizes.

Porque foi mesmo que a gente se afastou?

Poderíamos voltar o tempo e não deixar que o adeus aparecesse em nossos lábios. Sei que a vida segue e as redes sociais “gritam” aos quatro ventos nossos novos rumos, mas sei que uma paixão como a nossa não acaba assim.

Sabe rapaz, ainda “tô” aqui. Quem sabe você não deixa de só saber e a gente volta a se amar.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

Por que “Aquele meu balão”!?

“Elimine as ancoras que não te levam a lugar nenhum e se agarre aos balões que permitem voar bem alto.”

 

Venho trazendo essa frase comigo já algum tempo. Não há nada pior do que estar preso a momentos, pessoas ou situações desgastantes onde os únicos sentimentos sejam de infelicidade ou ansiedade.

Então comecei a eliminar essas “âncoras”, aquele relacionamento sem futuro, aquela amiga invejosa, aquele serviço sanguessuga e por ai vai, aquilo tudo que não nos levam a lugar nenhum.

 Dai me apeguei aos “balões” da vida, amigos com pensamentos positivos, atividades estimulantes, a família acolhedora, um relacionamento saudável, ou seja, “agarrar” ao que impulsiona a ser a nossa melhor versão, a estar “voando alto”.

 E foi nessa onda de âncoras e balões que surgiu o nome do meu blog “Aquele meu balão”, e claro não poderia ser diferente, pois agarrei comigo balões, que não são quaisquer balões, são AQUELES balões, desconfio eu abençoados por Deus, aquela minha família, aquele meu namorado e aqueles meus amigos, um conjunto de balões maravilhosos.

Portanto, esse nome como porta de entrada do meu universo, não poderia ser tão especial, pois escrever também me faz voar alto, em lugares que talvez nem o mundo alcance, sendo AQUELE balão mágico!

Não desperdice os balões que apareçam na sua vida, não os solte e nem os deixem se perder de vista, porque provavelmente não conseguirá resgatá-los depois de altos.

E as âncoras? Bom, as âncoras você deixa para trás!

Versão Antiga do Blog

Em destaque

Presentes de Última Hora – Dia das Mães

O dia das mães está chegando, e você percebeu que não comprou nenhum presente para alegrar esse dia tão importante? Não apavore! Continue lendo e descubra que você ainda pode fazer com que essa data não passe em branco.

Confira uma pequena lista de presentes de última hora que arrancará sorrisos da sua linda mãe.


Ps.: As dicas não valem apenas para as mamães que geraram/conceberam, elas podem ser adaptadas para aquela pessoa que você considera uma “mãe” em sua vida.


1.      VALE PRESENTE

Sua mãe é do tipo que gosta de fazer suas próprias compras? Então aposte nessa alternativa, o VALE PRESENTE vai permitir que ela escolha bem a cara dela o próprio presente. Alguns sites oferecem esse tipo de vale, ou procure saber se nos sites ou lojas em que ela costuma fazer compras possuem esses tipo de oferta. Você também pode fazer um vale caseiro e depois sair com sua mãe para fazerem as compras juntinhos.

 2.      CUPONS DO DIA DAS MÃES

 A grana está curta? Então vale a pena apostar nos cupons do dia das mães. Ele funciona como o vale, porém ao invés de comprar presentes, ele irá oferecer a sua mamãe coisas que você mesmo fará para ela. Algumas ideias de cupons incluem:

 Fazer uma massagem ou pintar as unhas dela;

Limpar sempre seu quarto;

Cuidar das plantas;

Limpar o terreiro;

Lavar as vasilhas;

Ficar responsável pelo lixo.

 E se você é o tipo de pessoa com atitudes corajosas pode deixar os cupons em branco para que ela mesma escreva o que gostaria de você!

  3.      CAFÉ DA MANHÃ NA CAMA

 Sua mãe está sempre cuidando de você preparando lanches e cafés da manhã deliciosos. Que tal nesse dia inverter as posições? Apesar de ser tradição é um gesto muito lindo de mostrar que você logo pela manhã lembrou-se dela. Em uma bandeja coloque alimentos bem saudáveis e que ela goste de comer, como pão com requeijão, frutas, panquecas, Cookies, Waffles, torradas, cereais, ovos mexidos entre outros. Claro que também não pode faltar as bebidas como café, leite ou um suco natural. Não deixe de caprichar na apresentação, como colocar uma pequena flor.

 4.      PROGRAME UM PASSEIO

 Sua mãe gosta de conhecer novos lugares? Então aproveite a oportunidade, escolha um lugar bacana e “bora” passear. Você pode levar sua mãe desde a um parque, uma cidade histórica, museus, zoológico ou para aquela mamãe que goste de estar antenada sobre filmes uma sessão cinema seria delicioso.

 5.      PIQUENIQUE

 Um dia tão especial combina perfeitamente com o ar livre. Fazer um piquenique seria um momento para relaxar, colocar o papo em dia e aproveitar para fazerem lanchinhos deliciosos. Escolha um local agradável como um parque, monte uma lancheira com diversas guloseimas e leve sua mãe para passarem a tarde toda juntos.

 6.      DIA DA BELEZA

 Toda mamãe merece ficar mais bonita, não é verdade? Então nada melhor que um presente desses. Você agenda uma data em um salão de sua confiança e promove para sua mãe cuidados com sua beleza. Não precisa ser aquele pacotão completo, aposto que sua mãe ficaria super feliz com uma limpeza de pele, hidratação profunda das madeixas ou um simples corte de cabelo.

 7.      CARTÃO

 Muita gente fica preocupada com um presente fabuloso e acaba esquecendo que um belo cartão faz toda diferença. Você pode criar o seu cartão ou até mesmo caprichar na escolha de um pronto. O importante é você colocar todo seu carinho nele, além de ser uma ótima oportunidade para quem tem dificuldade de falar seus sentimentos.

 8.      DÊ MUITOS BEIJOS E CARINHO

 Claro que não pode faltar esse presente. Além de um presente “material”, um cartão, esse presente deve estar incluído. Dê muitos beijos na mamãe e muito muito carinho nela nesse dia, quem sabe você não arrisca até um discurso de gratidão aos cuidados dela com você e um sincero eu te amo (Super fofo!).

Agora o que não vai faltar é inspiração para deixar sua mãe mais alegre nesse dia. Mas vale ressaltar que dia das mães é todo dia, então que tal presentear sua mãe com respeito e carinho nos 365 dias do ano? (esse claro 366 !!!)

 E ai, gostaram das dicas? O que planejaram para as mamães esse ano? Conte pra gente e ajude a aumentar nossa lista de inspirações.

 Beijos Beijos.

Versão Antiga do Blog

Em destaque

3. 2. 1 . Testando

Oii pessoal! Como estão?
Enfim vou estrear meu blog. Ebaaaa!

Sempre fui fã de blogs e gosto muito de escrever seja por hobby ou até mesmo uma forma de aliviar a alma (meio que como aquelas pessoas que falam sozinhas por ai hahahaha).

Já tive um blog, alguns anos atrás (Palavras ao Vento), mas a vida começou a ficar corrida por conta de faculdade, emprego, e ele ficou guardadinho. Continuei escrevendo, e ás vezes publicava alguns textos nas minhas redes sociais. Foi pensando nisso que vi a oportunidade de juntar tudo em um só lugar e dividir, para os que gostarem desse meu mundo de devaneios.

O blog chega com o nome novo “Aquele meu balão” (em outro post conto o porquê do nome) e contará com diversos assuntos:

 – Textos de relacionamento e autoestima

– Crônicas tristes, loucas, de amor;

– Filmes, séries, músicas e livros;

– Temas em gerais (curiosidades, tecnologias e outros).

 Espero muito muito que gostem, compartilhem, inspirem, apaixonem e divirtam.

 Sejam bem vindos!

Antiga versão do Blog